NOTÍCIAS

A forte e rápida alta do dólar movimentou o mercado físico de café para os lotes de boa qualidade

por Carvalhaes:

No primeiro dia útil de 2016 os operadores no mercado de café foram acordados da letargia de início de ano por um forte clima de aversão a risco nos mercados financeiros globais, que derrubaram as principais bolsas de valores e impulsionaram a alta do dólar frente às moedas dos países emergentes. O real foi a segunda moeda que mais perdeu frente ao dólar, encerrando a segunda-feira a R$ 4,0326. O receio de uma desaceleração mais forte da economia chinesa e a tensão no Oriente Médio, com o rompimento das relações diplomáticas entre Irã e Arábia Saudita levaram a esse movimento defensivo nos mercados financeiros ao redor do mundo.

A forte e rápida alta do dólar movimentou o mercado físico de café para os lotes de boa qualidade. As cotações em Nova Iorque trabalharam em baixa, mas as altas da semana passada compensaram em parte a queda desta semana. Os lotes de arábica naturais mais finos chegaram a ser comercializados a R$ 550,00 e alguns lotes preparados pelo processo “cereja descascado” bateram nos R$ 600,00. Lotes certificados ainda tiveram prêmios. Para cafés mais fracos em bebida ou muito baixos em tipo, a primeira semana do ano foi mais calma. Os compradores centraram suas atenções em cafés medianos e principalmente nos de melhor qualidade.

Cafeicultores mais capitalizados ainda não colocaram no mercado o que resta de sua produção em 2015. Preferem aguardar mais algumas semanas e acompanhar o desenvolvimento da crise econômica e política brasileira antes de vender o saldo final de seus lotes.

Até dia 7, os embarques de janeiro estavam em 191.593 sacas de café arábica, 3.587 sacas de café conillon, mais 10.374 sacas de café solúvel, totalizando 205.554 sacas embarcadas, contra 168.948 sacas no mesmo dia dezembro. Até o mesmo dia 7, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em janeiro totalizavam 385.344 sacas, contra 503.532 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 31, quinta-feira, até o fechamento de sexta-feira, dia 8, caiu nos contratos para entrega em março próximo 770 pontos ou US$ 10,19 (R$ 41,11) por saca. Em reais, as cotações para entrega em março próximo na ICE fecharam no dia 31 a R$ 653,90 por saca, e dia 8, a R$ 635,00 por saca.

Na, sexta-feira, dia 8, nos contratos para entrega em março a bolsa de Nova Iorque fechou com alta de 55 pontos.

Notícias Relacionadas