NOTÍCIAS

Após forte volatilidade, Bolsa de NY encerra esta 2ª feira com cotações próximas da estabilidade

por Notícias Agrícolas:

Os futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) fecharam esta segunda-feira (31) com leves ganhos. A sessão foi marcada por intensa volatilidade, as cotações chegaram a operar nos dois campos durante o pregão. Para se ter uma ideia, o vencimento dezembro/15 oscilou 510 pontos durante o dia entre a máxima 126,85 cents por libra-peso (280 de alta) e a mínima 121,75 cents/lb (230 de baixa).

Os lotes com vencimento para dezembro/15 anotaram 124,30 cents/lb e o março/16 teve 127,75 cents/lb, ambos com avanço de 25 pontos. O contrato maio/16 registrou 129,95 cents/lb e o julho/16 encerrou o dia com 132,00 cents/lb, ambos os contratos registraram 20 pontos de valorização.

No lado baixista, pesou hoje de manhã sobre o mercado a forte valorização do dólar ante o real, que encoraja as exportações da commodity. A moeda estrangeira chegou a avançar 2% durante o dia e atingiu o maior nível intradia em 12 anos. O dólar encerrou a sessão cotado a R$ 3,6271 na venda com alta de 1,17%.

No entanto, as dúvidas em relação ao potencial produtivo do Brasil ajudou a impulsionar as cotações no início da tarde. Estimativas estrangeiras apontam uma safra brasileira em cerca de 50 milhões de sacas, enquanto instituições brasileiras reportam a produção do Brasil em 40 milhões de sacas. Aspectos técnicos também contribuíram para o fechamento no lado azul da tabela.

De acordo com o analista da Origem Corretora, Anilton Machado, as cotações no terminal norte-americano nesta segunda apresentaram ajustes. “O mercado oscilou muito durante o dia acompanhando o câmbio, também há um ajuste de final de mês. Acredito que o suporte de US$ 1,20 por libra-peso deve ser mantido nos próximos dias”, afirma o analista.

Vale lembrar que a colheita da safra 2015/16 de café se encaminha para o final. Mais de 80% das lavouras já foram colhidas em todo o cinturão produtor. As previsões climáticas para esta semana favorecem o término dos trabalhos uma vez que não há previsão para chuvas até quinta-feira sobre as regiões Sul, Sudeste, Centro-oeste. As informações são da Somar Meteorologia.

Mercado interno

De acordo com Machado, poucos negócios acontecem no mercado físico. Os produtores se esforçam para cumprir as vendas agendadas e há transações apenas com os melhores tipos. Estes, por sua vez, são os mais valorizações. Estão em cerca de R$ 500,00 a saca.

O cereja descascado teve maior valor de negociação hoje na cidade de Espírito Santo do Pinhal (SP) com saca cotada a R$ 550,00 e alta de 7,84%. Foi a maior oscilação no dia dentre as praças.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com R$ 537,00 a saca e valorização de 0,56%. A maior variação ocorreu em Poços de Caldas (MG) onde a saca subiu 1,08%, para R$ 467,00.

O tipo 6 duro teve maior valor de negociação na cidade de Araguarí (MG) com R$ 480,00 a saca – estável. A maior oscilação no dia foi registrada na cidade de Poços de Caldas (MG) com avanço de 2,04% e saca está cotada a R$ 451,00.

Na sexta-feira (28), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 registrou queda de 1,76% e a saca de 60 kg está cotada a R$ 440,65.

Bolsa de Londres

Nesta segunda-feira (31), a ICE Futures Europe não teve pregão em Londres por conta do Summer Bank Holiday. Os negócios devem ser retomados hoje (1).

Notícias Relacionadas