NOTÍCIAS

Após semana volátil, cotações do arábica em NY têm alta de quase 450 pts e fecham acima de US$ 1,20/lb

por Notícias Agrícolas:

O mercado do café arábica encerrou a semana passada agitado tanto na Bolsa de Nova York (ICE Futures US), quanto no mercado físico brasileiro. No terminal norte-americano os operadores acompanharam muito a questão cambial e o clima no Brasil após a florada, o que motivou fortes oscilações durante toda a semana. No lado interno, os produtores não aparecem no mercado, principalmente, por conta das oscilações do dólar que gera incertezas.

Na última sexta-feira (25), na ICE, os lotes do arábica com vencimento para dezembro/15 encerraram cotados a 122,70 cents/lb e o março/16 a US$ 125,90 cents/lb, ambos com valorização de 440 pontos. Já o contrato maio/16 registrou US$ 127,95 cents/lb com 430 pontos positivos e o julho/16 foi negociado a US$ 129,70 cents/lb com 425 pontos de avanço.

“Os investidores focaram-se na recente desvalorização cambial no Brasil, mas principalmente, ao meu ver, pelo excesso de calor na região produtora, e resolveram colocar pressão na ponta compradora, e assim o campo positivo acabou prevalecido”, afirma o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães.

Até quarta-feira, 23, a moeda norte-americana avançava forte sobre o real, o que dá maior competitividade as exportações da commodity. Por outro lado, os agentes derrubavam as cotações em Nova York praticamente na mesma proporção para embolsar os ganhos.

No entanto, na quinta e sexta-feira, 23 e 24, o dólar passou a cair sobre o real acompanhando as intervenções realizadas pelo Banco Central para tentar conter o avanço da moeda estrangeira que atingiu níveis históricos nesta semana.

O BC realizou nesta sexta-feira leilão de venda de até um bilhão de dólares e dois leilões de novos swaps cambiais, vendendo em cada um a oferta total de até 20 mil contratos, equivalentes a venda futura de dólares.

A moeda norte-americana encerrou a sessão cotada a R$ 3,9757 na venda com recuo de 0,39%. Ainda assim, acumulou na semana um avanço de 0,44%.

Notícias Relacionadas