NOTÍCIAS

Aumento de cafés miúdos é realidade da safra 2015 na Cocapec

por Cafépoint:

Na região da Alta Mogiana, a Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas (Cocapec) conta com 2 mil associados que têm se queixado da queda na safra 2015. “Estamos agora com o andamento da colheita normal, só que os produtores têm reclamado muito da quebra. Quando precisava de água lá em janeiro, demorou para chover então a granação foi prejudicada”, afirma Jandir de Castro Filho, gerente de comercialização de café da Cocapec.

Em entrevista ao CaféPoint, Jandir comentou a influência do clima no atraso da colheita em 2015. “Em decorrências de chuvas, a colheita acabou tendo início apenas no final de junho e tivemos um atraso de 30 a 40 dias, em relação a 2014”. Segundo o gerente, os trabalhos estão, agora, em cerca de 70% de cafés colhidos na região.

Já a falta de chuvas nos meses de janeiro e fevereiro deste ano resultou na realidade que grande parte dos produtores, agora, vê após o beneficiamento. “Quando precisava de água lá na época da granação, demorou para chover então agora os cafés estão miúdos”. E que a cooperativa contabiliza na classificação. “A peneira tem dado abaixo. Recebemos normalmente de 30 a 35% de peneira 17 e 18. Porém, registramos em 2014 recebimento destes grãos em 20 e 25% e, agora, em 2015 apenas 18 e 22% dos cafés são desta peneira mais alta”, pontua.

Ao passo que as peneiras altas diminuem, os cafés de menor calibre chegam em maior quantidade. “Se o café está miúdo ele vai ter um pouco mais de ‘fundo’ e cai na peneira 14 abaixo. Então o ‘fundo’ normal, que seria de 4 a 5%, dos cafés estão dando de 8 a 10%. Está bem miúdo”, explica o gerente da Cooperativa que tem sede em Franca (SP) e reúne mais de 13 municípios em sua área de atuação.

Qualidade

Já no quesito qualidade, a Cocapec pondera que os cafés recebidos têm sido bem avaliados. “O que nós temos visto aqui é que os cafés estão muito bons em qualidade, em aspecto, em bebida. Como o tempo firmou e as temperaturas estão mais amenas, isso trouxe características de bebida muito elevada em pontuação”, explica Jandir.

Entre uma safra que rendeu bebida suave mas, de modo geral, não rendeu cafés de peneira alta, Jandir acredita que o mercado para cafés mais graúdos vá responder a isso. “Esses números vão ser corrigidos, mas nessa hora muita gente já vai ter vendido. Quando o mercado tem uma reação, poucas pessoas conseguem aproveitar. É o preço que se paga”, explica o gerente de comercialização de café da Cocapec.

Enquanto o mercado analisa as estimativas e a real situação da safra, para os cooperados da Cocapec a orientação tem sido de cautela na hora de negociações. “Temos conversado com os produtores para que eles possam vender dando uma equilibrada. Ele vai disponibilizando todo mês um pouquinho, na medida em que precisa pagar suas contas, mas se puder não vender tudo é bom esperar melhores preços”, aconselha Jandir, lembrando que é preciso levar diversos fatores em consideração, como a cotação do dólar, por exemplo.

Notícias Relacionadas