NOTÍCIAS

Balanço Semanal CNC: 07 a 11/01

P1 / Ascom CNC:

BALANÇO SEMANAL — 07 a 11/01/2019


 Farnese assume Departamento de Comercialização e Abastecimento

Diretor será responsável pela manutenção, em separado, da aplicação dos recursos do Funcafé, acompanhamento e controle das aplicações dos recursos do Fundo e elaboração da proposta do orçamento anual

Conforme anunciamos no Balanço Semanal do CNC da última sexta-feira, 4 de janeiro, após a publicação da MP nº 870 e do Decreto nº 9.667, que tratam da organização básica dos Órgãos da Presidência da República e aprovam a nova estrutura regimental do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), respectivamente, fizemos a indicação do servidor de carreira Silvio Farnese para assessoramento ao secretário de Política Agrícola, Eduardo Sampaio, nos assuntos relativos ao Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC) e ao Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé).

Na quarta-feira, 9, obtivemos uma conquista nesse sentido, com a nomeação de Farnese, publicada no Diário Oficial da União (DOU), para exercer o cargo de Diretor do Departamento de Comercialização e Abastecimento da SPA do Mapa.

Por meio do trabalho e da indicação do CNC, o novo diretor ficará responsável, entre outras funções, por manutenção, em separado, da aplicação dos recursos do Funcafé; acompanhamento e controle das aplicações dos recursos do Fundo; e elaboração da proposta do orçamento anual, ainda com a competência de assessorar o secretário de Política Agrícola nos assuntos relativos ao CDPC.

“O diretor Farnese vem fazendo um trabalho excelente no Mapa ao longo de sua trajetória como servidor público. Desde que assumiu a área do café na Pasta, vem demonstrando muito conhecimento e mantendo as portas sempre abertas para o diálogo com o setor, o que é fundamental para que possamos ter uma boa gestão público-privada dos recursos do Funcafé, o banco da nossa cafeicultura, que tem vital importância para a atividade, em especial aos produtores, para poderem gerenciar suas safras ao longo dos 12 meses do ano e não se verem obrigados a comercializar o produto nos momentos de baixa do mercado”, destaca o presidente executivo do CNC, Silas Brasileiro.

2º Prêmio Café Brasil de Jornalismo recebe 68 reportagens

Competição distribuirá R$ 90 mil às melhores matérias sobre “A Importância do Cooperativismo Cafeeiro na Economia Regional”

O 2º Prêmio Café Brasil de Jornalismo recebeu 68 reportagens, nas categorias TV, Rádio, Impresso e Internet, que disputarão o título de melhores conteúdos sobre “A Importância do Cooperativismo Cafeeiro na Economia Regional”. A segunda edição da competição é uma realização do Conselho Nacional do Café (CNC) e suas cooperativas em parceria com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e com apoio institucional da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT).

Segundo Silas Brasileiro, presidente executivo do CNC, o objetivo da competição é evidenciar, a cada ano, a importância da cafeicultura e os impactos positivos que a atividade possui em todas as esferas, em especial no meio urbano.

“Ainda há certo desconhecimento do meio urbano sobre a importância que o agronegócio tem, gerando receitas e movimentando o comércio como um todo onde está presente. Nossa iniciativa visa a atrair os meios de comunicação para contribuir nessa divulgação e temos conseguido, já que as inscrições desta edição cresceram 20% em relação à anterior”, destaca.

O presidente do CNC recorda que a cafeicultura também é uma atividade muito importante no que diz respeito à melhoria de vida da população das comunidades e municípios cafeeiros.

“Esta semana, o IBGE divulgou que os municípios do agro lideraram o crescimento do PIB no país. No caso específico do café, quanto maior a área, maior o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal. Enquanto a média do IDHM de Minas Gerais é de 0,668 ponto, por exemplo, ela parte de nível maior e chega a até 0,730 ponto nos municípios cafeeiros do Estado”, revela.

Brasileiro informa que os materiais inscritos serão analisados pela banca examinadora da competição, que é coordenada pelo diretor de comunicação do Conselho, Paulo Kawasaki, e composta por profissionais das áreas técnicas e de comunicação do CNC, cooperativas, OCB e ABERT. O resultado será revelado em cerimônia de premiação e anúncio dos vencedores no dia 19 de março, na sede da Organização das Cooperativas Brasileiras, em Brasília (DF).

Mercado: café arábica avança de olho no dólar

Futuros tiveram ganhos na Bolsa de Nova York impulsionados por fatores técnicos e pela oscilação da divisa norte-americana na semana

Os contratos futuros do café arábica registraram ganhos esta semana, com o mercado internacional operando embasado em fatores técnicos e de olho na oscilação do dólar. Na Bolsa de Nova York, o vencimento março/19 do contrato “C” avançou 265 pontos, encerrando o pregão de ontem a US$ 1,0425 por libra-peso. Já o café robusta recuou US$ 10 na ICE Futures Europe, fechando a quinta-feira a US$ 1.515 por tonelada.

A moeda norte-americana recuou 0,15% na semana frente ao real. Investidores analisaram que, internamente, há otimismo em relação à aprovação da reforma da Previdência, enquanto, no exterior, os ganhos consecutivos do petróleo e as negociações entre China e Estados Unidos favoreceram o cenário. Ontem, o dólar fechou a R$ 3,7091.

No tocante ao clima, a Somar Meteorologia informa que o fim de semana será de sol, calor e chuvas típicas de verão no Brasil. Há expectativa de chuvas irregulares na Região Sudeste, que deverão cair em forma de pancadas isoladas, não registrando grandes acumulados.

No mercado físico, as negociações permanecem em ritmo reduzido, não havendo grandes comercializações. Os indicadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) para as variedades arábica e conilon foram cotados a R$ 409,93/saca e a R$ 305,29/saca, com valorizações de 0,6% e 0,3%, respectivamente.

Atenciosamente,

Silas Brasileiro
Presidente Executivo CNC

Notícias Relacionadas