NOTÍCIAS

Bolsa de Nova York recua cerca de 200 pts nesta 3ª feira em ajustes técnicos após forte alta da véspera

 por Notícias Agrícolas:

Realizando ajustes técnicos, as cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) reverteram parte dos ganhos registrados na sessão anterior nesta terça-feira (12). Apesar da baixa, segundo agências internacionais, os operadores continuam bastante atentos ao desenvolvimento da safra 2016/17 do Brasil.

O contrato julho/16 registrou 145,95 cents/lb com 200 pontos de queda, o setembro/16 anotou 147,40 cents/lb com 190 pontos de recuo. Já o vencimento dezembro/16 fechou o dia cotado a 150,25 cents/lb também com 190 pontos negativos, enquanto o março/17 teve 152,95 cents/lb com 185 pontos de desvalorização.

Durante o início da sessão, o mercado até chegou ficar do lado azul da tabela, mas não teve forças para se sustentar acima do patamar de US$ 1,55 por libra-peso. Ontem, as cotações na ICE fecharam no maior patamar em mais de um ano. “O mercado resolveu expurgar os excessos especulativos e desta forma, uma leve baixa acabou saindo prevalecida”, afirma o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães.

“Na minha visão, esse movimento é normal e salutar já que tenho a convicção de que o melhor mercado é aquele que oscila igual como se sobe uma escada, ou seja, independente do lado desejado as oscilações são acomodadas, degrau por degrau”, pondera Magalhães.

Diferente da semana passada, o mercado do café arábica tem sentido pouco a pressão do câmbio. A moeda estrangeira caiu hoje 0,36%, cotada a R$ 3,298 na venda, repercutindo o cenário externo mesmo com o Banco Central realizando intervenções durante o dia.

Apesar da queda na sessão desta terça-feira, os operadores no terminal externo continuam atentos as incertezas na qualidade da safra 2016/17 do Brasil, maior produtor e exportador de café do mundo.

A colheita na Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé) atingiu até o dia 8 de julho 43,26% da área total de seus cooperados. Um avanço de quase 9% em relação à semana anterior. Em 2015, neste mesmo período, 27,25% da área estava com os trabalhos concluídos.

Levantamento divulgado na última quinta-feira (7) pela Safras & Mercado aponta que a colheita brasileira de café, até dia 5 de julho, estava em 52%. Considerando que a consultoria prevê produção de 54,9 milhões de sacas de 60 kg para o país nesta safra, foram colhidas 28,65 milhões de sacas.

Mercado interno

Os negócios com café voltaram a ficarem mais lentos nas praças de comercialização do Brasil após um aquecimento nas vendas na semana passada. O produtor aguarda melhores patamares e prefere dedicar atenção à colheita. “A sensação é de vazio mercadológico. Poucos negócios e preços firmes vêm dando a tônica da rotina cafeeira”, afirma Marcus Magalhães

O tipo cereja descascado fechou hoje com maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com R$ 575,00 a saca e queda de 1,71%. A maior variação no dia dentre as praças ocorreu em Espírito Santo do Pinhal (SP) com alta de 1,79% e saca a R$ 570,00.

O tipo 4/5 teve maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com R$ 573,00 a saca e desvalorização de 1,72%. Foi a maior oscilação dentre as praças no dia.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação na cidade de Araguari (MG) com R$ 540,00 – estável. A maior variação no dia ocorreu em Franca (SP) com queda de 3,77% e saca a R$ 510,00.

Na segunda-feira (11), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 510,12 com alta de 2,28%.

Bolsa de Londres

A Bolsa de Londres (ICE Futures Europe), antiga Liffe, também recuou nesta terça-feira em ajustes técnicos. O contrato julho/16 anotou US$ 1800,00 por tonelada com recuo de US$ 27, o setembro/16 teve US$ 1805,00  por tonelada com queda de US$ 24 e o novembro/16 anotou US$ 1823,00 por tonelada com desvalorização de US$ 20.

Na segunda-feira (11), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 404,41 com queda de 0,07%.

Notícias Relacionadas