NOTÍCIAS

Bolsa de Nova York sobe mais de 100 pts na sessão desta 2ª e volta a se aproximar de US$ 1,20/lb

por Notícias Agrícolas:

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) fecharam a sessão desta segunda-feira (23) com alta de mais de 100 pontos. Depois da pressão de informações fundamentais na última semana, o mercado externo do grão tem suporte de indicadores técnicos e já se aproxima de US$ 1,20 por libra-peso.

O contrato maio/18 encerrou a sessão de hoje com alta de 125 pontos, cotado a 117,00 cents/lb, já o julho/18 anotou 118,95 cents/lb com valorização de 125 pontos. Enquanto que o setembro/18 registrou 121,00 cents/lb com avanço de 120 pontos e o dezembro/18, mais distante, anotou 124,50 cents/lb e 120 pontos de positivos.

Depois de testar mínimas de mais de dois anos, o mercado do arábica voltou a avançar nesta segunda e estendeu os ganhos da sexta-feira em movimento técnico. Segundo a Reuters internacional, são vistas coberturas de posição vendida na ICE, mas a perspectiva de uma grande safra no Brasil neste ano deve limitar avanços expressivos.

Para o analista da Price Futures Group, Jack Scoville, as tendências para os preços externos do café arábica são mistas para baixista e aponta que o mercado segue acompanhando a safra brasileira. “Comerciantes em Nova Iorque voltam a falar do bom tempo que está sendo relatado no Brasil neste momento  e esperam outra safra”, disse.

A mais recente estimativa sobre a safra brasileira é da Marex Spectron. A corretora mundial espera um excedente mundial de café de 5 milhões de sacas de 60 kg na temporada 2018/19 com impulso por conta da produção do Brasil, após um déficit previsto de 3,3 milhões de sacas em 2017/18. A produção no país deve totalizar 61 milhões de sacas.

“Este ano há um maior grau de consenso sobre as regiões arábicas (do Brasil)… As chuvas chegaram tarde para a floração, mas não muito tarde”, disse a corretora para a Reuters.

A previsão aponta que o tempo deve ficar nos próximos dias nas principais áreas produtoras de arábica. Uma frente fria favorece chuvas no Rio Grande do Sul, mas perdem força antes de avançar para outras áreas produtoras do país, como Minas Gerais e Paraná. Já em Rondônia e Bahia as chuvas serão mais frequentes.

Mercado interno

Os negócios com café seguem acontecendo lentamente nas praças de comercialização do Brasil em relação aos últimos anos. “Os compradores reclamam da dificuldade de encontrar lotes no volume e qualidade que necessitam e os vendedores mostram bastante preocupação com a base de preços oferecida”, disse o Escritório Carvalhaes.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com saca a R$ 480,00 e alta de 1,05%. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Varginha (MG) com alta de 2,25%, a R$ 455,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca cotada a R$ 455,00 e alta de 2,25%. Foi a maior oscilação no dia dentre as praças.

O tipo 6 duro anotou maior valor de negociação em Araguari (MG) com saca R$ 447,00 e alta de 1,13%. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Maringá (PR) com queda de 2,39% e saca a R$ 408,00.

Na sexta-feira (22), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 427,02 e queda de 0,13%.

Notícias Relacionadas