NOTÍCIAS

Café tem dia de valorização, mas perde 4,07% no acumulado semanal; volatilidade deve continuar

Por Notícias Agrícolas:

Postado em: 22/08/22

 

Dezembro/22 teve alta de 150 pontos, negociado por 213,35 cents/lbp, março/23 teve alta de 145 pontos, cotado por 209,10 cents/lbp, maio/23 teve alta de 150 pontos, negociado por 206,55 cents/lbp e julho/23 teve alta de 150 pontos, negociado por 206,55 cents/lbp.

Na Bolsa de Londres, o café conilon encerrou a semana com poucas variações nos preços. Novembro/22 teve alta de US$ 8 por tonelada, negociado por US$ 2226, janeiro/23 teve alta de US$ 6 por tonelada, negociado por US$ 2206, março/23 teve alta de US$ 6 por tonelada, negociado por US$ 2178 e maio/23 teve alta de US$ 7 por tonelada, negociado por US$ 2172. Apesar do avanço neste pregão, o contrato referência – dezembro/22 teve queda de 4,07% em relação à sexta-feira passada, dia 12 de agosto.

O produtor de café segue vivendo dias de bastante instabilidade para os preços no mercado de café. De acordo com analistas ouvidos pelo Notícias Agrícolas, os fundamentos seguem sólidos para valorização, mas a volatilidade continuará sendo observada até pelo menos o final da colheita da safra 22 e, pelo menos, até o retorno das chuvas para a safra do ano que vem.

Os trabalhos de colheita avançam para a reta final, a safra vai se consolidando com quebra, enquanto a qualidade do café deve ser o grande diferencial deste ano para o Brasil, de acordo com especialistas.

Com relação aos negócios, eles seguem em ritmo lento. O produtor continua operando a medida que precisa de caixa e o mercado continua travado. A expectativa é que a entrada safra brasileira, a partir do mês, movimente as praças de comercialização.

Os estoques certificados, em pauta essa semana para o mercado de café, continuam com o nível mais baixo dos últimos 23 anos. No entanto, a Green Coffee Association divulgou alta no volume, o que pressionou as cotações nos últimos dias.

No Brasil, o dia também foi marcado por ajustes nos preços nas principais praças de comercialização do país.

O tipo 6 bebida dura teve alta de 0,78%, negociado por R$ 1.290,00, Poços de Caldas/MG teve alta de 0,77%, cotado por R$ 1.310,00, Machado/MG teve alta de 0,75%, cotado por R$ 1.350,00, Varginha/MG teve alta de 0,77%, cotado por R$ 1.310,00 e Campos Gerais/MG avançou 0,38%, cotado por R$ 1.328,00.

O tipo cereja descascado teve alta de 0,74% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 1.364,00, Poços de Caldas/MG teve valorização de 0,72%, cotado por R$ 1.400,00, Varginha/MG teve alta de 0,72%, cotado por R$ 1.390,00 e Patrocínio/MG encerrou com estabilidade por R$ 1.370,00.

Notícias Relacionadas