NOTÍCIAS

Cepea destaca que preços do café arábica registraram alta histórica em fevereiro

Por CaféPoint, via Notícias Agrícolas/ Cepea:
Postado em: 21/02/22

 

Pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) apontam que as cotações domésticas do café arábica registraram alta significativa nos últimos dias, chegando ao valor de R$ 1500/saca. O aumento é por conta dos expressivos ganhos na Bolsa de Nova York (ICE Futures), que refletem preocupações quanto à oferta global neste ano.

No dia 9 de fevereiro, o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, posto na capital paulista, fechou a R$ 1.555,19/sc, novo recorde nominal da série histórica do Cepea, iniciada em 1996. Em termos reais, os preços são os maiores desde dezembro de 1999 (valores deflacionados pelo IGP-DI de jan/2022). A valorização também atraiu vendedores ao mercado nacional, permitindo o fechamento de negócios em maior volume.

Já na última terça-feira (15), o Indicador do arábica registrou queda de 0,7% frente à terça anterior, pressionado pela queda do dólar frente ao Real, fechando a R$ 1.499,37/sc. Para o canéfora (robusta), os preços acompanharam o movimento de valorização do arábica até o dia 9, voltando a cair a partir da quinta (10). A liquidez interna, no entanto, não avançou durante as altas, uma vez que a maior parte dos vendedores segue retraída.

Agentes consultados pelo Cepea acreditam que os produtores devem negociar maiores volumes apenas com o início da colheita da safra 2022/2023, a fim de custear as atividades. Na terça-feira (15), o Indicador CEPEA/ESALQ do tipo 6 peneira 13 acima fechou a R$ 823,87/sc, recuo de 0,56% frente à terça anterior.

Já na manhã de hoje (16), o mercado futuro do café arábica abriu o pregão com ganhos para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). O preço ainda tem suporte na queda dos estoques certificados na ICE.

Por volta das 8h53 (horário de Brasília), maio/2022 tinha alta de 270 pontos, negociado por 254,45 cents/lbp; julho/2022 tinha alta de 270 pontos, cotado por 252,90 cents/lbp; setembro/2022 tinha valorização de 265 pontos, valendo 250,90 cents/lbp; e dezembro/2022 tinha alta de 250 pontos, negociado por 247,60 cents/lbp.

Na Bolsa de Londres, o canéfora (conilon) também abriu com valorização. Maio/2022 tinha alta de US$ 14 por tonelada, valendo US$ 2279; julho/2022 tinha valorização de US$ 8 por tonelada, negociado por US$ 2247; setembro/2022 tinha alta de US$ 4 por tonelada, valendo US$ 2231; e novembro/2022 tinha queda de US$ 6 por tonelada, valendo US$ 2216.

No mercado interno o tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 0,67% em Guaxupé (MG), negociado por R$ 1.500; Poços de Caldas (MG) teve alta de 0,68%, valendo R$ 1.490; Araguarí (MG) teve alta de 0,68%, valendo R$ 1.480; Campos Gerais (MG) teve alta de 0,66%, valendo R$ 1.514; e Franca (SP) teve alta de 1,33%, negociado por R$ 1.520.

O tipo cereja descascado teve alta de 0,63% em Guaxupé (MG), negociado por R$ 1.590; Poços de Caldas (MG) teve alta de 0,64%, cotado por R$ 1.570; Varginha (MG) teve alta de 0,63%, cotado por R$ 1.600; e Campos Gerais (MG) teve valorização de 0,64%, cotado por R$ 1.574.

 

Notícias Relacionadas