NOTÍCIAS

Em ajustes e com suporte do câmbio, Bolsa de Nova York tem alta próxima de 100 pts na sessão desta 5ª

por Notícias Agrícolas:

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) encerraram a sessão desta quinta-feira (26) com alta próxima de 100 pontos. O mercado externo do grão reagiu tecnicamente depois de recuar cerca de 150 pontos na véspera. Os principais vencimentos já voltam a ficar mais próximos do patamar de US$ 1,20 por libra-peso.

O contrato maio/18 encerrou a sessão de hoje com alta de 75 pontos, cotado a 117,60 cents/lb, já o julho/18 anotou 119,65 cents/lb com valorização de 85 pontos. Enquanto que o vencimento setembro/18 registrou 121,75 cents/lb com avanço de 80 pontos e o dezembro/18, mais distante, anotou 125,25 cents/lb e 80 pontos de positivos.

Depois da queda na véspera, o mercado externo do arábica realizou ajustes técnicos na maior parte da sessão desta quinta-feira. “Estamos ouvindo que as pessoas não estão interessadas em vender. [O mercado] pode estar no piso”, disse para a Reuters internacional Peter Mooses, estrategista sênior de mercado da RJO Futures.

Segundo informação do site internacional Agrimoney, diante do avanço nesta quinta, alguns traders já acreditam uma alta significativa pode estar voltando ao mercado do arábica. Na semana passada, as cotações do grão na ICE testaram os menores patamares em mais de dois anos, chegando a ficar abaixo do patamar de US$ 1,14 por libra-peso

O câmbio também contribuiu para o avanço no mercado. O dólar comercial encerrou o dia com queda de 0,27%, cotado a R$ 3,4767 na venda, em processo de correção depois de alta recente e acompanhando o exterior. As oscilações na moeda estrangeira em relação ao real impactam diretamente nas exportações da commodity.

Apesar da alta técnica, operadores no terminal seguem atentos às informações sobre o desenvolvimento da safra 2018/19 do Brasil. “O sentimento do mercado continua a ser impactado pela percepção negativa de excedente na oferta global de café para o segundo semestre deste ano e para o próximo ano”, completou em informativo a trader sul-africana I&M Smith.

As previsões otimistas ocorrem em um cenário de bienalidade positiva para a maioria das lavouras, com recuperação na safra de conilon no Espírito Santo e melhores condições climáticas. “Comerciantes em Nova Iorque voltam a falar do bom tempo que está sendo relatado no Brasil neste momento e esperam outra safra”, disse em relatório o analista da Price Futures Group, Jack Scoville.

Mercado interno

O mercado brasileiro de café tem registrado negócios isolados nos últimos dias. Os patamares de preço ainda não agradam os produtores.  “Apenas alguns poucos negócios envolvendo grãos remanescentes, especialmente mais finos, foram observados nos últimos dias”, disse em nota o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP).

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com saca a R$ 490,00 e alta de 1,03%. A maior oscilação dentre as praças no dia ocorreu em Espírito Santo do Pinhal (SP) com queda de 1,10% e saca a R$ 450,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca cotada a R$ 470,00 e alta de 3,30%. Foi a maior oscilação no dia dentre as praças.

O tipo 6 duro anotou maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com saca a R$ 458,00 e alta de 1,10%. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Maringá (PR) com avanço de 2,94% e saca a R$ 420,00.

Na quarta-feira (25), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 436,60 e queda de 0,26%.

Notícias Relacionadas