NOTÍCIAS

Indonésia promove café especial para impulsionar exportações aos EUA

por CaféPoint:

O governo da Indonésia está buscando promover o café do país e impulsionar as exportações, particularmente aos Estados Unidos, confirmando sua participação na exibição em Atlanta, Georgia, em abril. A exibição, que será organizada pela Associação de Cafés Especiais da América (SCAA), terá o café especial da Indonésia como tema principal.

A participação da Indonésia na exposição deverá impulsionar as exportações em 10%, para US$ 1,4 bilhão, nesse ano.

“A meta poderá ser alcançada desde que não haja nenhuma mudança importante no clima nesse ano, já que o café é sensível ao clima”, disse o diretor geral para desenvolvimento nacional das exportações do Ministério do Comércio, Nus Nuzulia Ishak.

O Ministério está confiante de que o evento ajudará a aumentar as exportações de café. Os Estados Unidos, que tiveram um consumo per capita de café de 4,2 quilos por ano, passou a Europa como o maior importador de café da Indonésia nos últimos anos.

Os Estados Unidos foram responsáveis por 22% das exportações totais de café da Indonésia, de US$ 1,12 bilhão até novembro de 2015.

Além disso, o Ministério do Comércio também criou o site remarkableindonesiancoffee.com e promoveu a campanha #indonesiaiscoffee nas mídias sociais como ferramentas de marketing. O governo gastará US$ 74.000 para participar da exibição de Atlanta.

“O evento será aberto por uma palestra, narrando a história sobre como o café local é plantado e processado. Também teremos 12 cabines e duas áreas de degustação e serão leiloados os 10 melhores cafés especiais testados pelo curador independente, Caswell’s”.

Uma variante de café é classificada como especial se alcança classificação de degustação de pelo menos 80 de 100. Os cafés que ficam entre 71 e 79 são classificados como premium e os de menos de 70 são considerados comerciais, de acordo com a Associação de Cafés Especiais da Indonésia (AKSI). A classificação da degustação inclui 10 critérios: aroma, sabor, acidez, corpo, uniformidade, limpeza da xícara, sabor após o consumo, equilíbrio, doçura e pontos gerais.

“O café especial pode aumentar o valor das exportações, já que seus preços são bem maiores”, disse o presidente da AKSI, Syafrudin. Ele disse também que a Indonésia tem dúzias de tipos de cafés especiais, todos dentro da classificação arábica ou plantados nas colinas. Cerca de 25% do café arábica do país são do tipo especiais.

Cada ilha produtora de café – Sumatra, Java, Bali, Flores (East Nusa Tenggara), Papua e Sulawesi – tem seu próprio café especial, incluindo Gayo, Mandailing, Kintamani, Temanggung, Ciwidey, Manglayang, Wamena, Toraja e Gowa.

“Estamos agora planejando ter mais cafés especiais a partir de grãos robusta, guiando nossos produtores para produzirem com melhor qualidade”. De acordo com dados do Ministério da Indústria do país, 76,7% das 685.000 toneladas de café produzidas em 2014 foram da variedade robusta e o restante, arábica.

Especialistas e oficiais estimam que a produção caiu para aproximadamente 450.000 toneladas no ano passado devido à seca prolongada e às plantações velhas. “Nesse ano, estaremos substituindo a vegetação velha pela nova para torná-las mais produtivas”.

Aumentar a colheita de café é importante em meio ao aumento no consumo doméstico e estrangeiro. O consumo local aumentou para 250.000 toneladas em 2014, comparado com 200.000 toneladas em 2011.

O valor das exportações de café da Indonésia aos países emergentes, como África do Sul, Tailândia, Filipinas, China e Argélia, aumentaram entre 106 a 208%, mostraram dados do Ministério do Comércio.

As informações são do The Jakarta Post/ Tradução por Juliana Santin

Notícias Relacionadas