NOTÍCIAS

O que define um bom café?

Por ABIC: 

Postado em: 08/02/22
O que define um bom café.

Crédito Freepik

Imagine a seguinte situação: você está no supermercado, de frente para a gôndola de café, e não sabe qual produto escolher diante de tanta variedade e especificações.

A grande quantidade de marcas, tipos e classificações levantam uma questão bastante pertinente: o que define um com café? Pensando nisso, o Jornal do Café separou informações relevantes para sanar essa dúvida.

Café para todos os gostos

Antes de mais nada, é necessário explicar que não existe um tipo único de café considerado o melhor. O bom café é aquele que mais se adequa ao seu paladar ou ao momento em que você pretende consumi-lo.

Existem ótimos cafés para todos os gostos e todos os bolsos, seja ele torrado, moído, quente, frio, gourmet, especial, orgânico, de procedência especificada, tradicional, extraforte, superior, temperado etc. O que não faltam são opções!

O que vai definir se aquele produto é bom ou não, é a sua garantia de qualidade.

Aprenda a identificar um café de qualidade

Independente do tipo de café que mais lhe agrada, é de extrema importância que a procedência e as boas práticas de fabricação do produto sejam levadas em consideração. Mas, como verificar essas informações? Simples, busque por marcas que estampam, em suas embalagens, algum dos Selos de Certificação da ABIC.

Esse selo garante que o conteúdo daquele pacote é 100% cafésem impurezas e resquícios de elementos da cadeia, como paus, folhas, cascas, dentre outros. Além de assumir o compromisso com a satisfação do consumidor, as marcas associadas à entidade garantem a segurança do alimento.

Entre as vantagens, estão: a preservação das características fundamentais do grão, o afastamento de surpresas negativas ou irregularidades, respeito à saúde do consumidor, cumprimento do que é prometido nos rótulos, fidelidade do cliente, garantia de pureza e qualidade.

Café Gourmet X Café Especial

Uma das dúvidas frequentes dos amantes da bebida e que interfere na escolha é entender a diferença entre o Gourmet e o Especial. Porém, é importante explicar que a qualidade do produto não está relacionada à sua classificação, mas sim à certificação.

O motivo pelo qual essa diferença está sendo abordada é o fato de muitos consumidores confundirem as nomenclaturas. Mas calma, o Jornal do Café está aqui para explicar tudo!

O termo Especial é utilizado para classificar o café verde (cru) e são identificados por serem diferenciados, ou seja, possuem características e atributos distintos dos demais. Embora o mercado cafeeiro utilize bastante essa nomenclatura, é importante ressaltar que ele qualifica apenas a matéria prima, isto é, o grão cru. Portanto, Especial não é uma categoria de qualidade para o produto final e sim a especificidade que o café em grão cru possui.

São exemplos de Cafés Especiais: orgânico (sem agrotóxicos), de origem (não é blendado, possui um terroir específico da região) e sustentável (segue as boas práticas agrícolas).

Já o Gourmet, é uma categoria de qualidade pertencente ao Programa de Qualidade (PQC), responsável por certificar o produto final. Para o café torrado pronto ao consumo ser classificado como Gourmet, ele precisa atingir uma nota sensorial de Qualidade Global entre 7,3 e 10 pontos, numa escala de 0 a 10 pontos, segundo a metodologia desenvolvida pela ABIC.

Os cafés são coletados no ponto de venda, do mesmo modo que o consumidor compra, e somente os produtos testados e aprovados recebem o Selo de Qualidade da Associação.

Agora, que você já sabe identificar um café de qualidade, o que está esperando para chamar os amigos e aproveitar uma tarde com aquele café quentinho? Lembre-se: o bom café, independente das suas características, é aquele que possui certificação!

Notícias Relacionadas