NOTÍCIAS

Temperaturas altas e retomada das chuvas fazem broca atacar na Colômbia

por Café da Terra:

Um princípio de chamada de alerta foi apresentado pela intensa onda de calor que afetou cerca de 20% da produção de café em Risaralda, na Colômbia. Agora, as chuvas estão causado mais problemas, já que a aparição da broca duplicou na localidade. Segundo representantes do Comitê Departamental (Estadual) de Cafeicultores, esses fenômenos naturais são muito difíceis de serem previstos e, diante disso, o controle das doenças e das pragas do cafeeiro se tornam ainda mais complexos.

Franklin Echeverry, diretor do Comitê Departamental, expressou que não é recomendável efetuar um ataque a broca neste momento e quando o clima varia muito. Hoje, as regiões mais afetadas com o problema são os municípios de Belén de Umbría, Pereira, Dosquebradas, Quinchía, La Celia, Balboa e Mistrató, com altos índices de ocorrência da praga.

Outro fator que vem afetando o café local é a falta de colhedores e de trabalhadores do campo para o café. Esses trabalhadores poderiam ajudar na erradicação da praga. A escassez de mão-de-obra afeta consideravelmente a produção do grão, que deve se estender até janeiro.

A broca do café é, na verdade, um pequeno besouro adulto de coloração escura. Para se ter ideia do tamanho reduzido, a fêmea atinge aproximadamente 1,65mm de comprimento por 0,73mm de altura.

Ela foi identificada pela primeira vez em São Paulo, no ano de 1924. Seu impacto foi tão devastador que 3 anos depois foi criado até um centro de pesquisas para estudar a praga – o Instituto Biológico, na cidade de São Paulo – hoje destinado à pesquisa tecnológica de agricultura em geral.

A praga se espalha através da fêmea adulta fecundada, que para abrigar seus ovos, faz uma galeria através da polpa e alcança o interior de uma das sementes onde os deposita em pequenas câmaras. Uma vez eclodidos os ovos, novas fêmeas nascem e, ao se alimentarem, destroem parcial ou totalmente os grãos de café.

Uma vez adultas e fecundadas, as fêmeas abandonam a câmara onde se criaram e vão procurar os  frutos . O ciclo, então, recomeça. Cada uma das fêmeas coloca de 31 a 119 ovos durante sua vida, que dura até 157 dias, em média. Ou seja, uma fêmea pode produzir prole durante os 5 ou 6 meses de uma safra, sendo prejudicial a todas as fases do fruto.

Os principais danos à produção é a perda sensível de peso de cada grão, além de comprometer seu aspecto e sabor. Em casos de grande infestação, o peso perdido chega a ser mais do que 20%, o que numa saca de 60kg, representa 12kg! Os grãos brocados também são considerados defeitos e por isso são inferiorizados na classificação do tipo de café, que é determinado pelo número de defeitos existentes em amostras.

Notícias Relacionadas